Rua Barão de Itapetininga, 124 - CJ 122 - São Paulo-SP +55 11 5062-3521 Español English Português

Quem tem medo de calibração? Parte 3 - Nível de Confiabilidade Requerida

Gostou? compartilhe!

Quem tem medo de calibração? Parte 3 - Nível de Confiabilidade Requerida

Dando sequência à nossa série de textos sobre calibração, nesta etapa discutiremos os diferentes níveis de confiabilidade exigidos para cada sistema de medição.

A primeira questão a discutir é o fato de que os vários sistemas de medição são usados para diferentes aplicações. Alguns equipamentos são usados para aprovar produtos, outros são usados para medir o atendimento a requisitos legais, outros para diagnosticar as condições de saúde de uma pessoa, e outros apenas para checar se existe ou não pressão em um linha de ar comprimido.

É notório que cada uso demanda um diferente nível de controle dos equipamentos, e a correta decisão na hora de escolher o método de controle a ser utilizado pode fazer toda a diferença técnica e econômica na gestão dos sistemas de medição. Escolher um método sofisticado demais para controlar um equipamento que tem pouca importância redunda em desperdício de recursos, enquanto que utilizar uma método grosseiro demais para controlar um equipamento crítico pode significar o engano na tomada de decisão a partir dos resultados das medições, o que significa a perda da confiabilidade metrológica.

Segundo o VIM (Vocabulário Internacional de Metrologia), as principais formas de controle sobre um equipamento de medição são as seguintes (com as respectivas definições presentes no VIM):

  • Verificação: Fornecimento de evidência objetiva de que um dado item satisfaz requisitos especificados.
  • Calibração: Operação que estabelece, sob condições especificadas, numa primeira etapa, uma relação entre os valores e as incertezas de medição fornecidos por padrões e as indicações correspondentes com as incertezas associadas; numa segunda etapa, utiliza esta informação para estabelecer uma relação visando a obtenção dum resultado de medição a partir duma indicação.

A principal diferença entre as duas formas reside no fato de que a verificação é uma simples comparação entre um valor conhecido e um valor medido, enquanto que a calibração é algo mais sofisticado, que implica necessariamente no conhecimento das incertezas que envolvem o resultado expresso dessa comparação.

Sendo assim, de uma maneira simplificada, a aplicação dos métodos descritos acima poderia ser resumida como:

  • Verificação: Aplicável a equipamentos utilizados em medições cujos resultados não afetam as decisões críticas da empresa. São sistemas de medição utilizados para tirada de dúvidas, como orientação, ou que avaliam variáveis que serão monitoradas posteriormente em outras etapas do processo (considerados, portanto, como "redundâncias"). É muito comum que equipamentos de linhas de produção sejam apenas "verificados" quando os produtos destas linhas forem inspecionados posteriormente. São equipamentos que não afetam legislação ou a qualidade do produto.
  • Calibração: Aplicável a equipamentos utilizados em medições cujos resultados afetam as decisões críticas da empresa. São sistemas de medição utilizados por inspetores, dispositivos a prova de erro (poka yokes), equipamentos de fim de linha, monitoramento de variáveis ambientais críticas (consumo outorgado de água, ruído ambiental, concentração de partículas, saídas de estações de tratamento), equipamentos para medições do ambiente de trabalho (audiômetros, gasômetros etc), que não possuam redundâncias ou que monitoram variáveis controladas pelo cliente. São equipamentos cuja falha pode afetar o meio ambiente, a segurança ou a saúde das pessoas, a legislação ou a qualidade do produto.

A adoção de um ou outro método é perfeitamente aceitável pelas normas de referência (ISO 9001, ISO 14001, OHSAS 18001, ISO 10012), e é decisiva para a correta gestão dos recursos de medição da empresa.

No próximo artigo desta série discutiremos os conceitos básicos do processo de calibração, e como avaliar os resultados deste processo.

Dúvidas? Contribuições? Contraposições? Participe da discussão!

Flavio Oliveira – Sócio-Diretor PM Analysis com mais de 20 anos de experiência em Sistemas de Gestão. 

A PM Analysis realiza serviços de assessoria na área de metrologia e calibração, e pode ajudar a sua empresa nesta demanda.

Consulte-nos!



Gostou? compartilhe!